Segs – Brasil é segundo País com maior número de vítimas de cibercrime

cb4cfcb9f20aeca5b1b51602bb1cabfa_M

Brasil é segundo País com maior número de vítimas de cibercrime

Especialista da FGV comenta como as pessoas podem se proteger dos ataques on-line

O Brasil pulou da quarta para a segunda posição no ranking de países que mais sofreram crimes cibernéticos, aponta pesquisa da Norton Cyber Security Insights Report 2017, divulgada em 22 de janeiro. O País totalizou mais de 62 milhões de vítimas e um prejuízo acima de US$ 22 bilhões no último ano. Ficando atrás apenas da China, com débito de US$ 66,3 bilhões.

O excesso de confiança das pessoas no ambiente on-line está colaborando cada vez mais para o aumento de cibercrimes no mundo. De acordo com o relatório da Norton, em 2017 os crimes cometidos na internet somaram um prejuízo de US$ 172 bilhões e prejudicaram mais de 978 milhões de consumidores em 20 países. Conforme o professor e coordenador do MBA em Marketing Digital da Fundação Getúlio Vargas em todo o Brasil, Andre Miceli, já havia previsto, o número de cibercrimes continuou crescendo e isso vai se manter.

Atualmente 54% das residências brasileiras têm acesso à internet, e a conexão nos lares via dispositivos móveis dobrou nos últimos anos. O número de domicílios sem computadores, que acessam à web via aparelhos portáteis, na maioria smartphones, passou de 7% em 2014, para 14% em 2016, indica pesquisa da TIC Domicílios, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil em 2017. Esse aumento também impacta no crescimento de cibercrimes, já que muitos acreditarem estarem mais seguros utilizando aparelhos móveis.

O relatório da Norton aponta que 8 em 10 entrevistados utilizam dispositivos portáteis para efetuar compras online, e 72% acreditam que essa ação possui uma ameaça moderada. Para Miceli essa segurança dos usuários é a porta de entrada dos criminosos “xxxx”.

O Brasil fechou 2017 com mais 236 milhões de celulares, uma média de 113,52 celulares/ 100 habitantes. Para se proteger, os usuários devem se atentar a alguns cuidados básicos quando acessam a rede via smartphone. “xxxxxx”, conta o professor da FGV.

A pesquisa da Norton Cyber Security ainda afirma que os consumidores que mais enfatizam a segurança cibernética, são os mais propícios a sofrerem um cibercrime. Normalmente as ações desses usuários no ambiente on-line, não condizem com o comportamento e eles ficam mais vulneráveis e comentem erros simples. O número recorde de ataques no último ano aponta que devemos ficar mais atentos quando se trata de informações pessoais no mundo virtual. A melhor maneira é se precaver para navegar de uma forma mais segura na web.

Sobre Ande Miceli

Andre Miceli é Mestre em Administração pelo Ibmec RJ, com MBA em Gestão de Negócios e Marketing pela mesma instituição. Coordenador do MBA e Pós-MBA em Marketing Digital da Fundação Getulio Vargas (FGV). Já ganhou mais de vinte prêmios de internet e tecnologia, incluindo o melhor aplicativo móvel desenvolvido no Brasil. Certificado no programa Advanced Executive Certificate in Management, Innovation & Technology do Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Autor dos livros “Planejamento de Marketing Digital”, “Estratégia Digital: vantagens competitivas na internet” e “UML Aplicada: da teoria à implementação”. É ainda fundador e Diretor Executivo da Infobase, uma das cinquenta maiores integradoras de TI do Brasil, e da agência digital IInterativa, atuando com clientes de diversos segmentos.

Fonte: Segs