Comportamento do consumidor: o papel da comunicação digital em tempos de serviços remotos

2909d71c-81a8-4fd6-9f49-fd0062a7709c

Comportamento do consumidor: o papel da comunicação digital em tempos de serviços remotos

Diante de uma crise que traz como prioridade o isolamento social, a tecnologia mostra sua força. Pensando nisso, Marcio Samia, da Imediatto Comunicação, compartilha dicas para empresas investirem no digital e otimizarem seus resultados
São Paulo – SP 25/5/2020 – Depois que a pandemia passar, o comportamento do consumidor terá mudado. O virtual estará ainda mais presente do que hoje em dia.

É fato que a rotina mudou completamente com a chegada da COVID-19. Segundo dados disponibilizados pela Prefeitura de São Paulo, 53% da população da cidade está em isolamento agora, deixando de lado saídas ou deslocamentos – sejam elas a lazer ou até mesmo para ir ao trabalho.

Diante desse cenário, a necessidade do home office se faz presente e torna-se solução para que muitos colaboradores não precisem sair de suas casas. E a mudança pode ser definitiva: segundo André Miceli, professor da FGV, Fundação Getulio Vargas, 30% das empresas devem adotar a prática quando tudo se normalizar.

Mas, e o consumidor? Conforme esperado, as pesquisas já apontam mudanças comportamentais – mais uma vez, voltadas ao mundo digital. Segundo dados disponibilizados pelo Huffpost Brasil, somente no mês de março os aplicativos de delivery tiveram 30% no aumento de sua demanda.

Reaprendendo

“Depois que a pandemia passar, o comportamento do consumidor terá mudado. O virtual estará ainda mais presente do que hoje em dia. Tudo será diferente do que estamos acostumados. Pessoas que não eram adeptas da tecnologia estão se vendo forçadas a utilizar, seja para o trabalho, através de videoconferências, para o cotidiano, como compras on-line ou mesmo para o lazer através das lives por exemplo”, diz Marcio Samia, fundador e sócio da Imediatto Comunicação. “Por isso é hora das empresas se prepararem para atender essa demanda e tenho certeza que, depois que esse período passar, aqueles que se preocuparam com esse novo perfil, estarão à frente de seus concorrentes”, complementa.

O empreendedor segue dizendo que a dica vale para todos: de grandes corporações a pequenas empresas – e ainda faz um adendo: “muitas vezes, em micro e pequenas empresas, o dono faz de tudo. Talvez seja o momento de encaminhar as demandas de comunicação para uma empresa especializada. Além do tempo que se economiza, atinge-se os objetivos com mais precisão. É uma ajuda muito bem-vinda”, aconselha.

Levando em consideração o aumento do tráfego e presença digital, Marcio ressalta que esse é o momento perfeito para engajar possíveis clientes. “É hora de rever conceitos e missões, estruturar redes sociais e até mesmo repaginar catálogos digitais. Esse é o caminho agora. Estamos fazendo isso inclusive com nossa própria comunicação. Reformulamos o logo, o site e estamos aproveitando o momento para colocar a casa em ordem”, diz.

Para finalizar, Marcio diz que momentos como esse permitem que a criatividade aflore. “Precisamos olhar para os clientes e entender como conseguimos ajudá-los, e mesmo de maneira remota, trazer soluções para problemas que antes não existiam. Mesmo que sua loja esteja fechada agora, o que você pode fazer para que seus clientes não se esqueçam de você? É a maneira de fazer com que seus produtos continuem sendo vendidos. Talvez seja necessário gerar conteúdos de qualidade, ensinar seu cliente algo que ele precise saber, e que de alguma maneira direcione seu olhar para sua empresa. Estou certo de que o mundo digital é capaz de ajudar a todos neste momento e, para as empresas, é o diferencial que vai gerar lucros. É hora de avaliar cenários e tomar decisões efetivas”.

Fonte: Portal Comunique-se