Adaptação ao home office: ideia para seguir após a pandemia?

mini_popularização-do-home-office

Adaptação ao home office: ideia para seguir após a pandemia?

Se antes da pandemia o home office era realidade para apenas uma pequena parcela dos trabalhadores brasileiros, agora, ele passa a ser uma necessidade para as empresas que desejam se manter em atividade durante o isolamento.

No entanto, a pergunta que fica diz respeito às novas configurações do mundo do trabalho depois da pandemia de COVID-19. Nesse contexto, será que o home office se estabelecerá como uma nova realidade laboral?

Com o intuito de falar mais sobre esse assunto, fizemos algumas reflexões acerca do futuro de tal modalidade de trabalho para um cenário pós a pandemia. A ideia é pensar como as empresas podem se adaptar à nova realidade do mercado. Veja!

O AUMENTO DA MODALIDADE DE TRABALHO EM CASA NA PANDEMIA

Com o agravamento da pandemia de COVID-19 no Brasil, o isolamento social foi adotado como medida para frear a curva de contágio e evitar a sobrecarga nos sistemas de saúde.

Nesse contexto, as empresas que não oferecem serviços essenciais foram obrigadas a parar suas atividades, o que gerou uma onda de falências e demissões.

Por outro lado, algumas empresas resolveram reformular suas operações com o intuito de se adaptarem à situação imposta pelo novo coronavírus.

Uma das principais medidas adotadas pelas empresas foi o trabalho home office, o qual possibilita a continuidade das atividades e a proteção da saúde dos trabalhadores.

De fato, o home office em tempos de pandemia está se fortalecendo cada vez mais, obrigando as empresas a adotarem novas tecnologias como forma de se manterem ativas.

“Para que se tenha uma ideia, uma pesquisa realizada pela agência Hibou em colaboração com a plataforma Indico mostra que quase 60% dos 2.400 trabalhadores brasileiros entrevistados estão trabalhando em home office.”

Isso significa dizer que 6 em cada 10 brasileiros estão adotando o trabalho em casa na pandemia. A maioria desses trabalhadores são celetistas com vínculo formal em empresas privadas e atuam em setores de atendimento.

Mas, afinal, esse cenário deve se manter após a pandemia? Respondemos a essa pergunta no tópico a seguir!

HOME OFFICE DEPOIS DA PANDEMIA

O crescimento do home office
De acordo com o IBGE, antes da pandemia, apenas 5% dos postos de trabalho eram no modelo home office.

Esse percentual deve aumentar consideravelmente depois da pandemia. De acordo com André Miceli, diretor da Infobase, o número de empresas que devem adotar esse modelo de trabalho deve crescer pelo menos 30%.

A estimativa é baseada em uma pesquisa coordenada pelo próprio Miceli com gestores de 100 corporações.

O que esse estudo aponta é que, embora já fosse uma tendência para o mercado de trabalho, a implementação do home office foi acelerada devido às imposições do atual momento.

Os benefícios do home office
Ademais, muitas empresas passaram a notar que esse modelo de trabalho também é eficaz e muito produtivo.

Uma dessa empresas é o banco Santander. Para Sérgio Rial, presidente dessa instituição, essa também é uma forma de reduzir o uso de espaço físico, o que pode trazer economia com o aluguel de salas comerciais e despesas fixas.

Perfil profissional depois da pandemia
Quanto ao perfil profissional no mundo pós-pandemia, devem haver também algumas mudanças.

Se por um lado os trabalhadores que ficam na ponta do atendimento precisarão ter mais facilidade com o uso da tecnologia e disciplina para cumprir as metas, os gestores deverão saber utilizar ferramentas de métricas e saber interpretá-las.

EMPRESAS QUE PRETENDEM ADOTAR HOME OFFICE DEPOIS DA PANDEMIA

Algumas empresas já planejam manter parte de suas atividades no modelo home office.

Uma delas é o Twitter, que pretende adotar esse novo modelo de maneira permanente, conforme foi anunciado po Jack Dorsey, CEO da empresa.

A presença nas agências somente será exigida para os trabalhos de manutenção de servidores e outros que exigem o deslocamento até as unidades da empresa.

Outras gigantes da tecnologia adotaram o home office até o fim de 2020, tais como a Google, a Amazon e a Microsoft.

No Brasil, a primeira grande empresa que pode adotar o modelo home office de maneira permanente para todos os colaboradores é a XP Investimentos.

De fato, a empresa já estendeu o home office até o fim do ano, podendo ele ser facultativo após o fim do período de quarentena.

Ao todo, serão 2700 funcionários trabalhando de suas casas. A decisão foi tomada após uma pesquisa interna que verificou a viabilidade desse modelo de trabalho, considerando a satisfação de funcionários e clientes da companhia.

Outra empresa brasileira que pretende expandir vagas de operações em home office depois da pandemia é a Qualicorp, uma das maiores administradoras de planos de saúde coletivos do país.

Antes da pandemia, essa empresa sequer tinha postos de trabalho nessa modalidade.

Isso mostra que, muito mais do que uma necessidade dos tempos atuais, a implementação do home office passou a se mostrar muito benéfica para as empresas que a adotaram.


O FUTURO DO MERCADO DE TRABALHO

Assim, podemos concluir que esse modelo de trabalho não é somente uma necessidade do atual contexto, mas uma oportunidade de otimizar as operações das empresas.

Por isso, o modelo home office deve ser adotado por muito mais empresas a partir de agora, estabelecendo-se como uma forma viável de trabalho. Aliás, empresas devem nascer já levando em consideração essa nova realidade.

Fonte: Adentro